03/10/2009

Como Homem Feminista passou a ser

Homem Pró-Feminino

Durante uma década trabalhei sobre um novo conceito que chamei de homem feminista.

Depois de 5 anos após ter publicado Homem Feminista e da ideia ter se disseminado mundo virtual afora, surgiu um blog feito por homens que se nomearam “Homem feminista de verdade”, numa clara alusão à ideia lançada em Homem Feminista.

Em princípio pensei em ainda lutar pelo nome, conforme entendia, deslocando seu significado de forma a incorporar os homens que lutavam contra o machismo não só pelas mulheres, mas pelos males que o machismo fazia a eles próprios. Além de abrir espaço dentro do universo feminista para começar a apontar também o machismo das mulheres.

Percebi, porém, que havia cada vez maior razão na forma desses homens utilizarem o termo homem feminista como estando em meio às mulheres, cercado por elas, lutando pelas suas causas, literalmente buscando se dar bem com elas.

A postura que busco em toda minha obra passou a ser antagônica a essa que surgia através da atitude desses homens e, por mais que eu tentasse negar, encontrava sentido cada vez maior na realidade feminista atual determinada pelas mulheres.

Ao longo desses anos em que o blog esteve publicado, muitas mulheres em seus comentários gostaram dos escritos e enalteceram a necessidade de que eles chegassem a seus companheiros. Mas, nenhuma dessas se declarou feminista.

As feministas declaradas apresentaram em alguns de seus blogs uma resposta a ideia do homem feminista com um sonoro “Cuidado! Até isso os homens querem roubar das mulheres”.

Um fato que me tocou bastante nesse sentido foi o ocorrido com famoso chargista conhecido do meio feminista. Ele publicou uma charge mostrando um primeiro quadro com mulheres em passeata levantando um estandarte com o símbolo do feminino (o círculo com uma cruz), onde escreveu em baixo: “feminismo”; e um segundo quadro onde mulheres cortavam a cabeça de um homem usando esse mesmo estandarte como arma, onde escreveu em baixo; “feminismo radical”. Ocorreu uma chuva de protestos e decepções de antigas fãs feministas. O caso ganhou repercussão. Em cerca de uma ou duas semanas ele lançou outra charge, uma espécie de retração, onde ele mesmo era personagem; ele estava a frente de um grande grupo de mulheres e pedia desculpas públicas e dizia que “afinal, vocês é que entendem de feminismo”, em seguida ele é aplaudido por todas elas. Houve uma repercussão onde ele foi literalmente recolocado no lugar de figura querida pelas feministas.

Agora sei que o termo feminista pertence às mulheres. Foi uma revolução feita por elas. Nada mais justo que pertença a elas. Homem feminista passa a ser para mim sinônimo daquele que se apresenta como o tal “homem feminista de verdade”, participando de passeatas feministas junto às mulheres.

Nasce dessa diferença a concepção do Homem Pró-Feminino.

Todos os escritos apresentados neste site estão sendo revistos há cerca de um ano, estão sendo acrescentados itens fundamentais, foi quebrado o paradoxo que antes funcionava como âncora para deslanchar o curso das ideias.

Homem Pró-Feminino estará pronto em breve. Será lançado como livro e, mais tarde, virtualmente.

Agradeço a todos que influenciaram o mundo com as ideias aqui expostas. Mas, diante do novo que surgiu, elas passaram a ser apenas trampolim para o salto maior dado em Homem Pró-Feminino.

Por sua função histórica, não irei desativar este site enquanto Homem Pró-Feminino não estiver pronto e publicado. Mas, a obra aqui colocada perdeu o sentido a partir do sentido que emergiu com a obra Homem Pró-Feminino.

Homem Feminista teve sua função como etapa necessária para chegar-se a outro patamar.

Homem Pró-Feminino é obra completa, acrescida de sentido e direção, onde minha ânsia de comunicar algo sobre a posição revolucionária do homem frente ao machismo, depois de 15 anos de pesquisa e aprimoramento das palavras precisas, finalmente estará posta.

Copyleft

creative commonsCópia livre desde que respeitada a autoria. Não permito alterações do conteúdo ou uso para derivar outras obras. Comercialização só com minha prévia autorização.

Obra registrada na Creative Commons by Fabio Veronesi